Um novo conceito em Blog Literário!

Espaço dedicado à divulgação de autores brasileiros, além de matérias e dicas sobre Literatura.
Contato: literaria15@gmail.com

Busca do Literária 15

segunda-feira, 31 de maio de 2010

Ronyvaldo Barros dos Santos

No Literária 15 de hoje recebo um amigo de longa data, e de intenso intercâmbio na literatura, Ronyvaldo Barros dos Santos. Somos colegas de editora também. O conheci antes, mas em breve estaremos no hall dos autores lançados pela Editora Multifoco. Nos conhecemos através de um site de relacionamentos e ele sempre se mostrou uma pessoa muito inteligente, de mente aberta e com potencial para ser uma grande revelação na Literatura Brasileira.

Dono de uma escrita leve e contundente, consegue agregar, como poucos, temas reais e fantásticos dentro de uma trama que prende o leitor do início ao fim.

Uma grande marca de sua narrativa é a erudição, através da qual seus personagens, mesmo os mais comuns, se elevam na ficção com tamanho esplendor e nos deixando admirados ao mesmo tempo em que somos levados a uma busca dentro de nós mesmos. Influenciados por personalidades tão distintas, os leitores se enxergam nesses personagens desafiadores, complexos e marcantes indo com eles ao longo da história de modo a perceber os traços da realidade como nunca.

Uma obra sem precedentes, uma trama diferente e ao mesmo tempo familiar, poesia, ciência. Um ambiente onde o ser humano se confronta com suas dúvidas a respeito de Deus, da origem das coisas, com a paixão. Conduzidos por um gênio erguido na admiração à Edgar Allan Poe, Victor Hugo, Dostoiévski, entre outros, a humanidade de cada um de nós é posta à prova, assim como as verdades que nos cercam nesse Labirinto Sagrado, com extrema competência, uma inteligência ímpar e uma cultura avassaladora. Assim se apresenta o primeiro romance nascido do talento do escritor Ronyvaldo Barros dos Santos.

O personagem principal Frederic Sigmund possui um espírito inquieto, desafiador. Um comportamento tipicamente libertador. Você considera isso próprio dos gênios? Ou acha uma característica inerente a cada pessoa, muitas vezes inerte?
Não só acho como tenho certeza de que isso é próprio dos gênios, pois fiz uma vasta pesquisa sobre todos estes aspectos antes de iniciar o registro do romance. Os grandes gênios, muitas vezes, além de impacientes, expressam um caráter arrogante, criticando os seus professores, procurando questionar as teorias e etc. Por isso deixo bem claro no prefácio do livro esta capacidade intelectual de Frederic Sigmund e a forma como ele procura lidar com os seus professores. Entretanto, ele não age, muitas vezes, com arrogância. Eu não deixo de salientar, na obra, um principal problema enfrentado pelos superdotados, a dificuldade que eles têm de serem compreendidos. Talvez pela grande capacidade de aderirem às ciências, não têm facilidade de se adaptarem com o meio social quando o seu superdotismo não é percebido precocemente.

Frederic é um personagem brilhante cuja paixão pela personagem Bruna promove em si uma revolução interior. Sendo ele um admirador de Vladimir Nabokov, há alguma relação entre esse drama, talvez propositalmente feita por você, ou devido à admiração de Frederic, com o do romance Lolita de Nabokov publicado em 1955?
Num dado momento, o protagonista se envolve emocionalmente com uma menina chamada Holly. Contudo, ele se sente bem ao lado da jovem simplesmente por necessitar de apoio moral, pois se envolve em uma história de mentiras ao longo da sua vida pessoal. Muitos passam a interpretar isso como uma pedofilia ou algo parecido, mas as intenções de Frederic são as mais inocentes, pelo menos é o que eu expresso por meio do narrador onisciente, cabendo ao leitor decidir por isso ou aquilo.
Cada obra citada no romance, como por exemplo o livro de Vladimir Nabokov, passa a complementar algum evento ou a exemplificar alguma ideia e, por isso, não são aludidas por acaso. E, na verdade, Frederic não é um admirador do autor da obra Lolita, o narrador apenas faz alusão a esta literatura para que se faça clara a percepção dos expectadores diante da relação entre o protagonista e a ninfeta.

Em O Labirinto Sagrado, Bruna é a paixão de dois amigos. Frederic e Aquiles. Frederic vai de gênio a poeta romântico. E seu "oponente", o que tem a oferecer? E o que você destacaria em Bruna como ponto forte para atrair o amor dos dois?
Frederic, além de gênio, se torna um poeta sedutor. Ele é mais constante, no sentido de manter um relacionamento. Aquiles se mostra muito forte e protetor, porém expressa um ódio veemente por aqueles que assassinaram os seus pais.
Realmente há de se compreender que Bruna possui uma aparência muito sedutora, mas não é apenas por isso que se inicia um duelo entre estes dois amigos. Ela representa uma espécie de status ou apenas um equívoco dos dois.

Seu personagem discorda de Freud e define para si um rumo embasado na meditação para manter a própria sanidade. Diante dessa sua proposta, acha que Freud precisa ser revisto até que ponto?
Levando em consideração a época em que viveu este grande psicanalista, Freud revolucionou a medicina, mas pecou em muitas das suas hipóteses, e a mais absurda é a chamada Teoria dos Sonhos, em que faz uma série de confusões acerca da interpretação de símbolos que estão sempre ligados à sexualidade. Todavia, este “Charlatão de Viena”, como o chamava o escritor Vladimir Nabokov, certamente tem a sua importância na área da psicanálise.

Você, genialmente, nos traz uma trama onde, dentre várias faces, está a de que muitas das teorias humanas são questionáveis. Até que ponto de reflexão pretende levar o leitor nesse aspecto?
Certamente, desde o primeiro parágrafo da história, o narrador leva o leitor a navegar pelos conhecimentos humanos, que constituem um aglomerado de saberes que, em sua complexidade, demarca um passo importante no saber humano. Há sempre um porém quando falamos sobre Teorias. Muitas teorias, como hipóteses, podem ou não ser aceitas por certo grupo, formado por pessoas que pensam em comum. O principal exemplo está no chamado design inteligente, que é citado na obra. Ele é formado por um grupo de cientistas que acredita que um ser inteligente pode ter tido participação na instituição do universo existencial. Muitos cientistas, que não fazem parte deste grupo seleto, consideram o design inteligente uma pseudociência.
A ideia do Labirinto Sagrado é levar o leitor a considerar esses dois lados como sendo lados da mesma moeda, cabendo a ele optar por uma teoria ou outra, questionando-a ou não.

Sua obra é fascinante no tocante a um dos maiores dualismos da humanidade. Acredita em Ciência vs. Espiritualidade? Ou acha que esse dualismo nem mesmo exista, ou quem sabe sejam apenas correntes muitas vezes separadas?
A ciência sempre procura, de algum modo, indagar acerca do que é, para nós, sobre-humano. Há sim um dualismo entre Ciência e o que é Sagrado (portanto, espiritual). Como exemplo, podemos citar a estrutura do cérebro humano, em que estudos apontam motivos que levam alguns cristãos a sentirem o Espírito Santo, que para estes neurologistas é algo fisiológico e natural do homem.

A Literatura ao longo da história do ser humano foi uma grande transformadora de mentes. Algumas vezes para o bem e em outras para o mal. Tanto em ficção quanto em não-ficção. Como vê a Literatura brasileira, principalmente no âmbito da nova geração agindo na sociedade em que vivemos?
A Literatura para mim transmite a essência do homem através da sua arte. Ela pode influenciar, mas não impor.
A Literatura brasileira é fantástica e muito rica. Muitos deixaram a sua marca para sempre, como Machado de Assis, Carlos Drummond de Andrade, Álvares de Azevedo, entre tantos outros que podem ser citados. E há muitos em nossa geração que estão trilhando o mesmo caminho. Atualmente a Literatura brasileira se faz extremamente importante, pois ela abre espaço para a crítica, para a denúncia e para novas filosofias.






O Labirinto Sagrado

“O Labirinto Sagrado” conta a história de um jovem chamado Frederic Sigmund Pontual que, apaixonado desde a meninice por uma moça chamada Bruna, está em busca de consolidar o seu romance baseado em uma série de hipóteses que o faz questionar a existência de Deus e a chamada Teoria de Tudo.
Ele é um gênio que procura explicar o porquê da existência. Por isso, encontra-se às vezes atordoado com uma série de delírios.
Tornando-se um poeta romântico, tentará de todas as formas conquistar a sua paixão, mas para isso terá que enfrentar o seu melhor amigo, Pedro Royel, mais conhecido como Aquiles.
Aquiles tentará seduzir Bruna e brigará pelo seu grande amor, que desde outrora o fascinava.
A jovem terá que optar por um dos dois amigos, por fim; e a sua escolha pode comprometer a trajetória da trama.


Livro: O LABIRINTO SAGRADO
Autor: Ronyvaldo Barros dos Santos
Editora Multifoco
Ano: 2010
Links: http://ronyvaldo.wordpress.com/olabirinto/
http://ronyvaldo.wordpress.com/2009/07/30/olabirintosagrado/
Prévia do Romance no link:
http://ronyvaldo.files.wordpress.com/2010/05/previaromance.pdf

Luís Delgado

Do tipo Neologista

Não sei se você conhecia bem este termo neologista, ou neologismo. Mas com certeza você já se deparou em muitos textos com palavras que, dentro do enredo, tomaram novos sentidos, ou ainda palavras que foram inventadas.
É justamente isso o neologismo. Às vezes nos prendemos em “classicismos” dentro da literatura e nos esquecemos de inovar nossos textos, deixando assim de dar-lhes um ar moderno, ou ainda criar um estilo.
E um ponto muito importante é o estilo do autor, ainda que o escritor seja eclético quanto aos gêneros e a narrativa, muitos são verdadeiros camaleões no modo de se expressar, tendo assim, um estilo quase indefinível. Tudo vale! Não é necessário que você só escreva sobre um determinado assunto, ou dentro de um gênero. Há quem escreva também ficção e não-ficção. A arte de escrever é totalmente livre, até a incoerência é permitida, mudar de ideia não é errado ao longo da vida, nem da carreira. E usar, ou inventar, palavras novas, pode levá-lo a criar um estilo que o identifique sempre que um texto seu for lido, como também abrir um leque de possibilidades para você expandir sua imaginação. Pode libertá-lo de rótulos, ajudá-lo a revolucionar a sua própria escrita e quem sabe a Literatura Contemporânea.
Muitos gênios se destacaram justamente por desafiar padrões, não se limite! Não pense que escrever errado é “errado”. Experimente a licença poética, retrate a realidade com gírias e erros comuns no dia-a-dia dentro da ficção.
Eis uma palavra que combina com neologismo, inovação. Experimente essa liberdade de inventar e reinventar. Quem sabe você não se apaixone por essa possibilidade.

Sucesso!
Luís Delgado

domingo, 16 de maio de 2010

Wilton Lazarotto e Mauro Antônio Lazarotto

Novamente o Literária 15 inova, hoje a entrevista será com dois autores, Wilton Lazarotto e Mauro Antônio Lazarotto. Wilton, filho de Mauro, foi quem estabeleceu contato para que agendássemos tudo. Os dois celebram a pareceria na literatura brindando seus leitores com seu segundo romance, O Último Cristão.

Assim como seu antecessor, A Saga de um Aprendiz, o último livro exalta polêmicas do cotidiano do ser humano, criando um ambiente muito real, onde, pai e filho, transmitem através das palavras, suas mais profundas convicções em relação à sociedade atual, revelando dramas, frustrações, exemplos de superação, a estrutura familiar entre muitos outros pontos.

A obra possui um cunho bíblico, que serve de apoio para o personagem principal em suas reflexões diante dos problemas com os quais se depara. É uma obra muito íntima, onde os autores falam abertamente de suas crenças, fazem suas críticas e propõe atitudes. Uma trama cheia de reviravoltas, onde um personagem inicialmente desacreditado, torna-se um símbolo de superação, dentro do panorama que os escritores acreditam como ideal. Nesse ponto eles apresentam o caminho de vida que seguem e convidam o leitor a experimentá-lo.

Desde o início foi um projeto de vocês escreverem obras juntos? Ou o primeiro livro “A Saga de um Aprendiz” foi que inspirou essa parceria?
Desde o início escrevemos juntos, buscamos juntar a experiência de ambos. Para assim, desenvolver as obras com mais qualidade.

Muitas vezes os personagens refletem a essência do autor, sendo sua voz ressoando nas palavras. Como foi a criação do personagem Oruam em “O Último Cristão”? Ele reflete a personalidade de ambos, ou apenas de um de vocês?
O personagem é apenas uma ficção, não reflete a personalidade dos autores. Ele é apenas o porta-voz da mensagem que o livro transmite. O conteúdo do livro é o que os autores pensam em relação a alguns integrantes da nossa sociedade. E com base em experiências vividas pelos autores, criou-se o personagem Oruam para a construção da obra.
O nome Oruam foi escolhido como personagem principal que é o nome do autor Mauro, ao contrario.

Há temas polêmicos no livro, como drogas, conflitos religiosos, brigas familiares, entre outros. Como tem sido o retorno dos leitores diante do posicionamento de vocês quanto a esses temas?
Alguns leitores elogiam a obra, confirmando que nossas teorias são o que reflete a realidade. Alguns nos procuram colocando sua opinião que somos um pouco radical em determinadas situações. Porém, ambos os leitores elogiam a trama que decorre na história.

Oruam é seguido como um líder na trama, alguém que lida com a crença religiosa de outros. Como veem essa relação? Acham-na perigosa?
Definitivamente não!
A relação de uma pessoa que propaga a fé, que faz com que as pessoas venham a viver melhor, é bem aceita até mesmo pelos Ateus. Não oferecendo nenhum perigo a quem escreve ou faz comentários em relação a religiões. Nós não nos referimos a nenhuma determinada igreja, apenas falamos da bíblia.

Vocês pensam em continuar escrevendo juntos, ou já existe a ideia de cada um escrever sozinho alguma obra?
Continuamos pensando em desenvolver novos livros juntos. Foi uma parceria que deu certo e pretendemos continuar enquanto for possível. Em nossas obras defendemos a estrutura familiar, e desconhecemos autores que escrevem juntos pai e filho, da forma com que fazemos.

É um ideal de vocês provocar transformações sociais através de seus livros?
O livro não tem o poder em si de transformar a sociedade. Mas o leitor cria um conceito em relação à obra e pode mudar um pouco seu comportamento. Toda pessoa que começa a ler um livro não é a mesma que termina. Porque ocorre a transformação em seu conhecimento, fazendo com que ela mude para melhor.

Oruam é tido inicialmente como um personagem depressivo e em busca de respostas. À que passagem, conflito, ou ainda emoção vocês acham que se deve, mais fortemente, a superação o personagem?
Foi buscando conforto nos evangelhos bíblicos. A força de sua fé fez com que ele compreendesse que sua força estava dentro de si. Conseguindo assim superar seus traumas e medos vencendo assim todos os obstáculos. E com sua força de vontade foi um general na batalha contra a depressão, se tornando um vitorioso, fazendo a diferença pelos lugares em que passou. Um ser nada materialista vivendo apenas em busca de conhecimento, que cada situação em que saí vencedor ele deixa para seus seguidores.




O Último Cristão



Um depressivo homem sem rumo deixa sua cidade e segue pelos vales da existência. Excluído de sua própria família, rejeitado pela própria esposa, forçado a largar tudo, segue em frente na busca de respostas por locais desconhecidos. Devido ao seu conhecimento bíblico, em sua lembrança apenas motivações religiosas importavam naquele momento.
Seguindo o seu destino e os profetas de seus sonhos, Oruam consegue desvendar os mistérios que o envolviam e que faziam parte de sua própria existência. Conseguiu notar os pequenos erros em meio a uma sociedade agigantada. Seus discursos verdadeiros, diante das injustiças, serviram para simplesmente ser perseguido moralmente.
Oruam, infelizmente, viveu as conseqüências da pobreza moral da sociedade sem ética. Com sua personalidade de caráter honesto e humilde propagou a fé maior e a luta pelos sonhos e objetivos. Caminhando pelas lacunas sociais, buscou fontes de sobrevivência, conquistou seu espaço e, por fim, tornou-se um diferencial pelos longos caminhos que passou.

Editora biblioteca24x7 (Local pra compra http://www.biblioteca24x7.com.br/ )
Autores: Wilton Lazarotto & Mauro Antonio Lazarotto // Ano Lanç: 2010


Luís Delgado

Primeira vs. Terceira pessoa

Você já deve ter lido obras nessas duas narrativas, tanto em livros de ficção quanto em livros de não-ficção. Mas já parou para analisar as incríveis características de cada uma delas? De como cada uma tem peculiaridades enormes e demonstram inúmeras possibilidades?
Tomemos como exemplo os livros de ficção. Quando narrados na terceira pessoa, muitos pensam que, quem conta a história, tem a completa noção de tudo o que acontece, do pensamento e emoções dos personagens, de seus destinos, e que quando surpreende com algum acontecimento o faz estrategicamente para não estragar a trama, sendo que já sabia de tudo antes. Complicado? Talvez... Mas tudo pode ir muito além.
Quando falamos em primeira pessoa é diferente, o personagem ou autor que narra, não toma conhecimento de tudo, pelo menos nos primeiros capítulos, às vezes é surpreendido, parecendo ser mais cadenciado do que a outra narrativa, como se o narrador não pudesse saber mais sobre a trama do que o autor.
Ambos têm suas vantagens, todos podem falar das emoções de todos os membros da história, em alguns casos a narrativa em terceira pessoa é mais abrangente e, a outra, muito pessoal quanto a quem que narra.
Mas fala-se em muitos prismas de narrativa como: Narrador-Observador, Narrador-Observador Onisciente, Narrador-Observador Câmera, Narrador-Personagem Protagonista, Narrador-Personagem Testemunha, Narrador Intruso e Neutro.
Portanto, não se curve às regras, saiba que existe muito a ser explorado, sendo que você pode até desenvolver um estilo novo de narrativa, use e abuse de sua criatividade e lembre-se que ambas também têm suas vantagens e desvantagens, mas que podem ser muito bem exploradas. Experimente as duas e aproveite!

Sucesso!
Luís Delgado

sábado, 1 de maio de 2010

Anabel Sampaio

No Literária 15 de hoje recebo minha amiga a escritora Anabel Sampaio. Uma autora que que concilia qualidade e produtividade literária em grande escala. Passeou com méritos por crônicas, poesias, artigos e nos presenteia recentemente com a primeira obra de uma admirável trilogia. Seus contos e romances se enveredam pelo campo da ficção científica, com base em fatos científicos e históricos. Anabel tem como referência em sua produção literária o mundo mágico da ficção científica, embasada na realidade de fatos históricos, levando o leitor a se deliciar com a trama de personagens que já encantaram o mundo literário no passado.

A autora está apoiada num excelente argumento que busca inspiração direta e abertamente na versão de Marion Zimmer Bradley para a lenda Arthuriana, Erich von Däniken do livro “Eram os Deuses Astronautas” e também do best seller “O Código de Da Vinci” de Dan Brown , este último tendo como pano de fundo para sua trama a Igreja Católica e seus mistérios nunca revelados, as várias hipóteses e mais precisamente a lenda da raça Merovíngia.
Segundo a crítica literária o livro, em si, tem potencial para se tornar tão bom quanto as suas referências principais (Brumas de Avalon e O Código de Da Vinci). Em determinados momentos a autora consegue expor mais “feeling” do que outros grandes autores do gênero.

Anabel possui uma capacidade incrível de entrelaçar culturas muito diferentes, fatos históricos, fictícios e temas chocantes com maestria e estilo prórpio. Uma narrativa impecável e digna de consideração dão à sua obra uma força crescente na literatura nacional. Prova disso são muitas de suas premiações, como o Diploma Destaque de Mérito Feminino da Academia Brasileira de Arte, Cultura e História. – Casa da Fazenda. Morumbi. São Paulo- ABACH- São Paulo- 2010 e a Menção Honrosa Destaque Raimundo Nonato “Essas Mulheres Maravilhosas”. Taubaté. SP, 26 de março de 2010.

Artigos, participações e publicações;

Seres Humanos: Marionetes dos Anunnakis. Dia 17/3/2010
Alerta aproximação do Nibirú. Carta de um político Norueguês. Dia 02/03/2010
Efeito Exillis, o Efeito da Energia Vrill, 27/02/2010.
Fragmentos do Segundo livro da série Efeito Exillis. 20/02/2010.
O mistério dos Crop Circles. 23/01/2010.
Área 51, a área Altamente Secreta dos EUA. 23/01/2010
Série literária Efeito Exillis I. 11/12/2009.
O Projeto HAARP – HIGH FREQUENCY ACTIVE AURORAL. 11/11/2009.
Vampirismo. 10/11/2009.
A tecnologia Extraterrestre infiltrada no governo dos EUA. 18/10/2009.
The Philadelphia Experiment – Ações Secretas. 17/10/2009.
O Segredo das Sociedades Secretas. 23/09/2009.
Eram os Deuses Astronautas? Assim perguntou Erich... 22/09/2009.
Que Deus é esse que quer Chibatadas e Sacrifícios no Catolicismo. 22/09/2009.
Se estranho encontrado no Panamá. Anunnaki?
OPUS DEI – Mortificação? Chibatadas no Catolicismo. 19/09/2009
O tempo está passando mais rápido? Culpa da Ressonância Schumann
Nazistas e OVNIS, alguém duvida? 23/08/2009
Símbolo da Ordem Diabólica Skull&Bonés no Mosteiro São Bento. 11/08/2009.
Projeto Camelot & Efeito Exillis. 10/08/2009
Os Estados Unidos nas mãos dos Maçons. 01/02/2009.
A Maçonaria e sua relação com o livro Efeito Exillis. 29/01/2009.
Relação entre o Caso Roswell e o livro Efeito Exillis. 27/01/2009.

Participação de várias entrevistas em TV locais com assuntos sobre Teoria da Conspiração e Ufologia. TVMAIS, ORKUTV, CANAL20MG.

Participação de uma série de entrevistas sobre Ufologia – A Operação Prato, com documentos secretos de relevância do Caso. Consiste em uma série de 14 entrevistas quinzenais no Canal 20, a partir do mês de abril 2010 com o jornalista OCTÁVIO SCOFFANO. TV Canal20 MG.

Entrevistada do site de Selmo Vasconcelos.
http://antologiamomentoliterocultural.blogspot.com/2010/04/anabel-sampaio.html

Publicação do Livro de poesias de minha autoria “Mito” publicado em 1987 com duas edições vendidas.
* Classificação nos primeiros lugares de vários concursos literários com vários poemas e contos futuristas publicados em diversas revistas, jornais e livros brasileiros:
_Farrapo Humano - Publicado no livro- POETAS BRASILEIROS DE HOJE- Rio de Janeiro, 1985.
_O protótipo perfeito de Simpósia Rafrida – Conto publicado no livro “Antologia 2054” pela Editora Andross, abril 2010.
_O Conto de Carminho Procópio – Classificação em um concurso pela Editora Guemanisse.

Sua obra tem como prismas os gêneros: ficção científica, teoria da conspiração, esotérico, ufologia. Tido como um livro sem precedentes, e o primeiro de uma trilogia. Alguns desses gêneros são considerados ainda antagônicos. Você acha que essa visão vem mudando ultimamente?
Estamos vivendo um milênio de enigmas e inquietações, quando os assuntos sobre Armagedon "Dia do Juízo Final" , ufologia e Conspirações por grandes potências mundiais nunca estiveram tão presentes.
Segundo as religiões, estamos às portas do Segundo Advento Messiânico. É lógico que várias igrejas abusivas utilizam o "pavor do Armagedon" para justificar o sacrifício dos fiéis, objetivando utilizá-lo como uma ferramenta de "controle emocional". Porém, no que se refere a "questões antagônicas" citadas na pergunta é difícil acreditar que diante de ameaças de holocaustos nucleares e a ferocidade de catástrofes ambientais o homem esteja completamente alienado sobre essas profecias e sobre a ufologia. Embora todos esses assuntos sejam questionáveis e passíveis de descrédito existem informações compiladas em documentos históricos que abrem um leque de possibilidades verídicas e confiáveis.
Existe um paradoxo entre o "fantasioso proferido por algumas religiões" e as provas contundentes agregadas aos fatos palpáveis que só vem ao conhecimento dos homens com acesso a essas informações. É esse público que me fascina, pois eles comparam o que eu escrevo juntamente com o que existe de palpável. Para esses leitores, o que eu escrevo não é nada fantasioso, mas agrega às informações que eles já têm acesso. Nesse "feedback" existe uma troca de informações, eu o leitor.
Saliento que informações como dia do "Juízo Final" e assuntos ufológicos estão inexoravelmente ligados e documentados em papiros escritos há 4.200 anos. Segundo fontes sumérias existiu um desafeto entre o deus Enlil e o deus Enki, os dois clãs extraterrestres que dominaram o curso de eventos subseqüentes na Terra. O conto bíblico do Capítulo 6 do Gênesis relaciona a divindade Yahweh decidida a varrer a humanidade da face da Terra.
Todos esses documentos e mais uma centenas deles, confiáveis ou não, existem para dar respaldo no que muitas vezes é caracterizado como mera ficção científica. Entretanto, para o autor e para aqueles que possuem um pouco de informação, consiste em fonte de saber e de conhecimento.

De que maneira seus estudos sobre Sociedades Secretas e existência de Alienígenas mexeram com sua visão sobre a humanidade?
De fato, inevitavelmente mexeram comigo. Esses anos de pesquisas me deixaram convicta sobre como as entidades governamentais, religiosas e sociais manipulam a humanidade. Confesso que por inúmeras vezes chorei por meus antepassados terem morrido acreditando em tanta coisa vã. Além de que, lamentei profundamente por aqueles que estão na calada obscura da falta de informação. A visão que passei a ter da humanidade foi sombria: a humanidade sendo conduzida por uma mão dominadora, nefasta, alterando a seu bel prazer o estado mental da coletividade, o clima da Terra e outros fatores essenciais a nossa sobrevivência.
Tentei me aprofundar em certas questões cruciais. Em um dos meus livros, ainda inédito, minha personagem retornou ao ano de 33 d.C, em Jerusalém. Por esse motivo precisei pesquisar muito sobre fatos históricos dessa época. Todos os fatos pesquisados não condizem com o que acreditei até então. O mais decepcionante é pensar que a maioria dos homens ainda acredita.

Você já trilhou com sucesso pelo mundo da poesia, dos contos e também escreveu notáveis artigos. Sensibilidade e capacidade de, informar e expor, conclusões próprias ajudaram de que forma na criação da narrativa em Efeito Exillis 1 - O Segredo das Sociedades Secretas?
Para escrever Efeito Exillis 1 - O Segredo das Sociedades Secretas eu precisei me despir de todas as emoções e de todas as características de personalidade da Anabel autora e me transformar em Valentine. Uma mulher que desvendava o sobrenatural de forma corajosa, que sofreu e se viu derrotada inúmeras vezes em sua missão designada pela CIA.
O conhecimento científico e histórico fez com que eu conduzisse a trama, procurando dar leveza às situações que por si são "pesadas", pois o livro descreveu rituais com pactos de sangue e orgia. Por isso a minha preocupação a todo instante foi "quebrar" essas narrativas com "pinceladas" de fantasia como o encontro da personagem com os Cavaleiros da Távola Redonda e sua ida à Ilha Sagrada de Avalon.

No ambiente da Trilogia Efeito Exillis há muitos temas conectados, muita polêmica, enfim, material suficiente para inúmeras obras literárias. Desde o início você imaginou a possibilidade de uma trama estendida em mais de um livro?
Não imaginei. A história tomou "corpo" e surpreendentemente cresceu e adquiriu personalidade própria. Como um filho que traz todas as suas gerações em anexo: infância (livro 1), puberdade ( livro 2) e maturidade ( livro 3). Esse filho está preste a trabalhar pela missão que lhe foi designada: através da leitura levar a informação ao leitor de forma que ele consiga distinguir o que é fantasia e o que é realidade. O limite de ambas será o maior desafio para o leitor.

Os temas se sucedem a cada nova obra da trilogia, ou são os mesmos em todas e são explorados (avançam) juntos ao longo da trama?
A trama continua nos 3 livros. Porém, não será necessário o leitor ler o primeiro para entender o segundo, nem o terceiro e vice e versa. O assunto do primeiro se refere ao passado, à formação e ao objetivo das Sociedades Secretas, Caso Roswell, bases subterrâneas e extraterrestres e um grande segredo milenar.
O segundo livro se refere à atualidade, embora a personagem viaje no tempo de 33 anos d.C. O segundo livro cita grandes experiências de engenharia genética, viagem no Tempo e outras experiências de impacto tecnológico. A personagem foi convocada para participar de experiências nos laboratórios da NASA.
O terceiro livro se passa no ano de 2080 com a realidade futurista e pessimista do sucesso do estabelecimento do Governo Único Mundial.

Apesar de ser uma obra de ficção, há fatos históricos reais. Como foi pesquisar sobre temas com tantas teorias e “verdades” como o Caso Roswell e as 13 famílias Iluminadas do mundo?
Foi fantástico! Uma grande surpresa descobrir a correlação entre eles. Não foi difícil fazer a trama desde que todos os grandes acontecimentos e fatos da humanidade estão fundamentados em um único Segredo que atravessa o tempo, confunde civilizações e consistiu em objeto de cobiça de homens como Adolf Hitler. Apenas raros homens escolhidos têm acesso a esse segredo, porém, todas as grandes potências mundiais têm acesso ao Segredo do Efeito Exillis.

Seu blog é fantástico, tem um número espetacular de visitas e um conteúdo excelente. Que conexão você mantém entre ele e as obras? É uma complementação, ou explanação, de conteúdo?
Obrigada pelo elogio! De fato, consiste em uma complementação de assuntos abordados em meus livros. Por ser romanceado eu não consigo me aprofundar em alguns temas. Mesmo colocando "notas de rodapé", eu acabo não conseguindo explicar da forma que fique convincente para o leitor. Além do mais, principalmente o livro 1 tem na minha opinião um excesso de informações e isso fez com que ele ficasse maior do que eu desejava. Procurei corrigir isso nos livros 2 e 3, deixando-os com maior leveza a fim de conduzir o leitor para uma leitura menos cansativa.
Com informações no blog, eu reduzi bastante o livro 2 e o livro 3, lógico que, na expectativa que as pessoas tenham acesso ao endereço: http://www.efeitoexillis.blogspot.com/

Trecho da obra:
Eu me sentia como uma herética medieval frente a uma acusação da Santa Inquisição. Resfolegando com a perspicácia melodiosa de “Flauta mágica” de Mozart, adentrei a câmera do meio com o peito aberto e uma corda com um nó de carrasco circulada em meu pescoço, os olhos vendados e fui tateando na escuridão até chegar frente ao venerável Mestre, que fincou de leve uma lança afiada em meu peito:
__ Sentes alguma coisa? __ Sim, eu sinto. __ Então, que essa ponta seja um ferrão em tua consciência, assim como a morte instantânea se algum dia traíres o Segredo que agora te será comunicado. __ Prefiro a morte à trair a confiança Sagrada de quem me depositou o Grande Segredo! Foi quando vislumbrei a cova aberta em cuja parte superior estava um crânio humano posto sobre duas tíbias cruzadas. Sofri um fraco golpe em minha têmpora esquerda e os Diáconos fizeram eu me ajoelhar, mas quando vi o venerável Mestre debruçar-se sobre o pedestal, me puxaram até que eu caísse na cova.
Foi quando vislumbrei a cova aberta em cuja parte superior estava um crânio humano posto sobre duas tíbias cruzadas.
Sofri um fraco golpe em minha têmpora esquerda e os Diáconos fizeram eu me ajoelhar, mas quando vi o venerável Mestre debruçar-se sobre o pedestal, me puxaram até que eu caísse na cova. Quando fui coberta por uma mortalha de forma que apenas o meu rosto ficasse descoberto. Nesse instante, o Venerável Mestre me segredou o Efeito Exillis.



Efeito Exillis
O Segredo das Sociedades Secretas


Gênero: Ficção científica, teoria da conspiração, esotérico, ufologia.
Tagline: O grande segredo do Caso Roswell e das 13 famílias Iluminadas do mundo.

A trilogia Efeito Exillis é uma ficção científica eletrizante que percorre os campos épicos, tendo como pano de fundo a saga do Rei Artur e dos Cavaleiros da Távola Redonda. Percorrendo cenários como o caminho de Santiago de Compostela, a Ilha Sagrada de Avalon e cidades desaparecidas nas mediações do Mar Morto.

É uma narrativa embasada em fatos históricos e científicos, revelando um Segredo Sagrado Milenar, objeto de conspirações entre as Sociedades Secretas.
O mistério fica por conta dos poderes mágicos da Pedra Graal, a Lapis Exillis e o interesse que ela desperta em chefes de potencias como a Coréia do Norte, Alemanha e Estados Unidos da América. O livro explica a obsessão do Reich alemão Adolf Hitler para encontrar essa pedra, o uso da mesma pela Coréia do Norte no conflito de 1950 contra os Estados Unidos, além do Caso Roswell e teorias conspiratórias alienígenas. Todos os fatos compilados em relatos históricos verdadeiros e manuscritos datados de primórdios da criação.

No ano de três mil anos a.C. Salomão, recebendo a Pedra Graal por direito de linhagem, construiu o seu Templo onde escondeu a Pedra na Arca da Aliança. Devido aos efeitos de levitação dessa Pedra, a Arca flutuava a uma distância de dez centímetros do chão.
Mais tarde, em posse da Antiga Religião, os druidas passaram a Jesus Cristo a Pedra Graal, qual adornou o Cálice da Última Ceia. Minutos antes de sua crucificação, Jesus confiou a José de Arimatéia a missão de levar o cálice até Cornualha, o qual deveria ser entregue à família do próximo sucessor da linhagem, o Rei Artur.

Entretanto, no século XX, uma mulher recebe um chamado da CIA para exercer uma missão secreta no Caminho de Santiago de Compostela. Essa missão é a busca do Santo Graal, uma esmeralda da quintessência com extraordinários poderes mágicos. Todavia, essa pedra está sendo também procurada pela sociedade secreta, os Illuminatis, para fins de concretizar a Nova Ordem Mundial, além de cumprir sua promessa de vingança contra a Igreja Católica, por ocasião da Santa Inquisição.

Durante sua missão, a personagem sofre os mesmos artifícios aplicados pelos coreanos nos soldados americanos na guerra da Coréia, em 1950. Porém, a personagem consegue utilizar todo o potencial da magia da Esmeralda para se proteger.
Não percam as grandes descobertas sobre os poderes dessa Pedra lendária, dentre eles o Efeito Exillis que permite que Valentine viaje no tempo até o ano de 33 d. C em busca de mistérios como a Arca da Aliança e os Cavaleiros Templários do Priorado de Sião.

Anabel pesquisou muito para trazer ao conhecimento geral fatos contundentes e secretos, de conhecimento exclusivo do serviço secreto de Inteligência de grandes nações como Estados Unidos da América e Coréia do Norte. Descrevendo com peculiaridade os rituais de magia negra e Ordens como Illuminatis, clones & bonés e Ordem Negra. Não percam muita ação, suspense e uma história repleta de temas polêmicos que vão desde os grandes mistérios, culminando uma visão sombria sobre o destino da humanidade.

Autora: Anabel Sampaio
Editora: Eskalab Editora
Número de páginas: 378
ISBN: 856125104 - 2
Assunto: Ficção científica
Número da edição: 1º edição, 2009.
Formato: 14,8 x 21
Preço: R$ 59,00

CONTATO COM A IMPRENSA:
Anabel Sampaio
e-mail: anabel_efeito.exillis@yahoo.com
blog: http://www.efeitoexillis.blogspot.com/
orkut: http://www.orkut.com.br/Main#Profile?rl=tr&uid=7913751862427841191
Facebook:
http://www.facebook.com/home.php?ref=home#/profile.php?id=1264689481&v=info&ref=profile
No Twitter : http://twitter.com/efeitoexillis
Fone: (11) 66783230

CONTATO COM A EDITORA:
011- 3171-2190 - Sr. Sylvain
AVENIDA PAULISTA, 2073, HORAL, CJ.2315, CERQUEIRA CÉSAR, 01311 – 300
REVISTA@NEWSLAB.COM.BR

PEDIDOS DO LIVRO:
http://www.bandbook.com.br/
setor livro – esoterismo.


Luís Delgado

Conexão Blog/Livro

Os blogs revolucionaram a internet, na verdade, eles seguiram uma tendência forte que é a abertura de espaço alternativo na grande rede. As pessoas não precisam mais das grandes mídias para exibirem suas ideias, trabalhos, vídeos, entre outras coisas.
Existem várias empresas hoje em dia que oferecem espaço gratuito para as pessoas criarem os seus. Muitos estilos e domínios diferentes. Criar um se tornou muito fácil, divulgação de trabalhos e gerar renda são comuns, e qualquer pessoa pode obter um.
Mas você deve ter percebido que muitos autores, tanto os que administravam apenas sites, como os que não tinham nenhum espaço na internet, começaram a fazer uso dessa incrível ferramenta.
Existem blogs onde escritores postam artigos, ou interagem com fãs, mas uma grande vertente das possibilidades, tem sido, usá-los como complementos, extensões dos livros. Isso mesmo, potencializando os antigos apêndices e muitas vezes substituindo-os, um espaço como esse pode explanar mais dados da obra, contar mais sobre os personagens, revelar o passado deles, entre outros fatos que, ou não couberam na história, ou não eram necessários.
Essencialmente levam os leitores a conhecer mais sobre o autor, sua relação com a obra, e criam uma relação entre quem escreve e quem lê, essa interatividade aproxima e aumenta em muito a presença do autor no mundo literário. Um ponto forte para divulgação tanto, de quem está começando, quanto de quem já tem uma brilhante carreira. Experimente criar o seu e divulgue o máximo possível, pode ser o seu meio de conquistar novos leitores.

Sucesso!
Luís Delgado